Você está em: Notícias»“PATROL SUPERFATURADA – VÍRUS DA CORRUPÇÃO”

“PATROL SUPERFATURADA – VÍRUS DA CORRUPÇÃO”

“PATROL SUPERFATURADA – VÍRUS DA CORRUPÇÃO”
No dia 13 de julho, durante um intervalo da Décima Nona Reunião Ordinária, o parlamentar José Renato de Oliveira presenteou o colega Gilmar Sebastião Cândido com uma patrol de brinquedo, em um gesto sarcástico. O parlamentar guardou a miniatura até a sessão seguinte, quando levou o presente à Tribuna e desenrolou um cartaz onde se lia: “Patrol Superfaturada – Vírus da Corrupção”. Só então, o edil iniciou seu pronunciamento relembrando o episódio da patrol superfaturada, adquirida durante a administração do ex-prefeito Ronaldo Resende. Ele usou pareceres da CPI da Câmara Municipal, do Tribunal de Contas da União e da Polícia Federal referentes à aquisição Gilmar narrou todo o processo que levou ao indiciamento do ex-prefeito pela PF. De acordo com o edil, em 2012 foi instaurada a Comissão Parlamentar de Inquérito no Legislativo, para apurar a compra de uma patrol. A CPI concluiu que houve superfaturamento na transação e enviou relatórios aos órgãos competentes. O Tribunal de Contas da União acusou a participação decisiva de Ronaldo Resende no processo licitatório. Ele teria direcionado o pregão para a empresa vencedora, em um esquema de conluio. A conclusão do TCU foi, então, remetida à Polícia Federal. Diante dos fatos, a PF indiciou o ex-prefeito com respaldo na Lei de Licitações e, também, por uso de documento falso. O vereador afirmou, ainda, que Resende foi condenado por corrupção passiva em um episódio envolvendo o presídio. Segundo o edil, RR foi um dos alvos da Operação João de Barro, deflagrada pela Polícia Federal. Um desvio de verba do Oliveira Prev motivou outra condenação do político, por gestão temerária, conforme recapitulou o parlamentar.


© 2020 - Desenvolvido por Lancer